notícias »

Irlandeses dizem que zebu do Brasil é mistura de boi com búfalo

  • 01/11/2007 08:35

Os irlandeses vêm afirmando, numa campanha de difamação da carne bovina produzida no Brasil, que o zebu criado aqui não seria autêntico, e sim uma mistura de boi com búfalo. Ou seja, a carne exportada pelo Brasil para a Europa não seria a autêntica carne bovina. Diante dessas declarações, o pesquisador Antônio Rosa, da Embrapa Gado de Corte, levanta literatura a respeito e aponta a incorreção da “teoria” irlandesa. “Além da difamação, os irlandeses demonstram total ignorância quanto à história evolutiva das raças bovinas”, diz Rosa, acrescentando: “Dizer que zebu não é bovino é o mesmo que reconhecer que gado europeu também não o é, já que ambos se encontram no mesmo ponto da escala do processo evolutivo”.



Tanto o gado europeu (Bos taurus) quanto o zebu (Bos indicus) descendem do boi primitivo, do mesmo ancestral, conhecido por urus ou auroch, cuja região de origem é onde hoje se encontram o norte da Índia e os desertos da Arábia.



Durante a última era glacial, iniciada há cerca de 250 mil anos e que durou até 12 mil anos atrás, estes animais migraram para outras regiões, tais como leste da China, Oriente Médio, norte da África e Europa. Desta forma, comenta o pesquisador, por influência dos diferentes fatores de clima e solo, pela atuação da seleção natural e pelo isolamento geográfico - que fazia com que os acasalamentos fossem realizados entre indivíduos mais aparentados entre si do que com os grupos originais - diferenças acentuadas foram se firmando nessas populações, dando origem ao gado europeu e ao gado indiano.



DOMESTICAÇÃO- A domesticação, ocorrida por volta de 10.000 a.C., foi outra força a atuar na evolução do bovino, com o início da intervenção do homem sobre o processo da reprodução dos animais, por meio da seleção. “A própria história das civilizações, com seus reflexos sobre os objetivos da criação, tendo em vista as novas demandas decorrentes da urbanização, contribuiu para a evolução dos bovinos”. Isso explica o grande número de raças atuais.



Além disso, enquanto o gado zebuíno e europeu são incluídos no mesmo gênero, Bos, com o mesmo número de cromossomos e produzindo prole fértil a partir de cruzamentos entre si, o búfalo e o bisão, assim como os bibovinos e os iaques, são de gêneros diferentes, abrigados sob a mesma família Bovidae (Bubalus, Bison, Bibos e Phoephagus, respectivamente). “Assim, o acasalamento entre esses diferentes gêneros da mesma família não é possível ou, quando ocorre, gera híbridos inférteis.”


















Fonte: O Estado de S.Paulo



 

carregando